A percepção da Unidade

olhar

 

Personificações da Verdade,

Na oração sacerdotal, Jesus manifesta a sua vontade e ora a Deus para que todos sejam “aperfeiçoados na unidade”.

Para que alguém possa ser “aperfeiçoado na unidade” esse alguém já tem que ter em si a “visão da unidade”. Só assim poderá ser aperfeiçoado, ou seja, aperfeiçoado naquilo que já tem em si…

O princípio no qual se baseia o ensinamento do Núcleo [que provém do Núcleo, Fonte ou Origem] é precisamente a “visão da unidade”, chamada de “percepção”.

Há aqui dois detalhes essenciais a serem notados:

O que é preciso para ser “aperfeiçoado em algo” é reconhecer que já tem esse “algo” no qual irá apenas “ser aperfeiçoado”! Assim, esse ensinamento sobre a visão da unidade parte da “percepção”.

O segundo detalhe é que esse ensinamento não é centrado em nenhum personagem em especial, não é centrado em nenhuma pessoa, mas sim na percepção compartilhada por essa pessoa…

Sempre houve os que tiveram essa percepção e que a compartilharam!

O que geralmente acontece é que seus seguidores seguem a pessoa [Jesus, Masaharu Taniguchi, Sakyamuni] e não a percepção que por elas foi compartilhada…

Por isso Jesus disse: “Se eu não me for o Consolador não virá a vós”…

Ao ensinar: “Conheça a Verdade e a Verdade os libertará”, Jesus estava revelando o que é preciso para sermos verdadeiramente livres. Precisamos conhecer a Verdade!

“Conhecer a Verdade” significa “conscientizar em nós a Verdade”. Para nos tornamos conscientes da verdade precisamos percebê-la! Eis o ponto crucial!

A Verdade é o que é real. E somente o real percebe o real…

Esta é a chave de compreensão do que é real.

O que é real?

Apenas o real!

O que pode perceber o real?

Apenas o que é real.

No ensinamento do Núcleo é usada a metáfora de “Ator e personagem” na qual o ator é real e o personagem é irreal.

Assim, a “mente do personagem” [chamada por Masaharu Taniguchi de “mente em ilusão”] é irreal, e a “Consciência do Ator” [que alguns chamam de “Consciência divina” e na linguagem cristã é chamada de “Mente de Cristo”] é real.

Acaso pode a “mente de um personagem” perceber o real?

Não, apenas a “Consciência do Ator”, que é real, pode perceber o real!
Sendo o personagem irreal, uma ficção, não pode perceber o real.

O ser humano visto por sua própria mente parece ser real…
Contudo, o ser humano não é real…
E sua mente também não é!

Este é o ponto!
A mente do ser humano não é real.

Não sendo real, a mente humana não pode perceber o real.

Apenas o real percebe o real. Deus é real.

Em um personagem aquilo que pode perceber o real é somente a “Consciência do Ator”, que é a real identidade do personagem!

A real identidade do ser humano é Deus!

Somente o real percebe o real.

Somente Deus Se percebe!

Deus Se expressa no ser humano como Consciência.

Assim, apenas a “Consciência” [a “Mente de Cristo”] percebe o real.

Foi com essa “Mente de Cristo” que Simão compartilhou a percepção de que: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”.

O que pode nos “aperfeiçoar na Unidade” é a conscientização de que a percepção [da “Mente de Cristo”] é válida não só para Simão e não só em relação a Jesus…

Isso é o que eleva os seguidores da pessoa de Jesus à percepção de um verdadeiro apóstolo, aquele que compartilha a percepção de que já tem em si mesmo a “Mente de Cristo”, como o apóstolo que compartilhou a percepção de que: “temos a Mente de Cristo”.

Enfim, perceber o real só é possível com a “Mente de Cristo” em vez de perceber com a “mente em ilusão”, pois a ilusão “verá” a própria ilusão… A percepção da “mente em ilusão” nem mesmo é uma real “percepção”, é uma “pseudo percepção”. A real “percepção” em nós é a “Mente de Cristo”.

Assim, olhando com a “Mente de Cristo”, que é real, veremos o real, veremos a real identidade do ser humano. E para qualquer ser humano que olharmos não mais veremos um ser humano!

Veremos o que viu Simão: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”!

Na oração sacerdotal Jesus afirma: “Eu neles e tu em mim, para que sejam perfeitos em Unidade”.  Assim, para sermos “aperfeiçoados na unidade” precisamos perceber a unidade com a “Mente de Cristo”!

Com a percepção da “Mente de Cristo” seremos perfeitos em Unidade; a Verdade será conscientizada e nos tornará verdadeiros apóstolos de Cristo [o Deus Verdadeiro], pois, como está escrito, os verdadeiros adoradores são os que adoram a Deus em Espírito e em Verdade!

O Espírito de Deus em nós Se expressa como essa “Mente de Cristo”.

Com a “Mente de Cristo”, que é real em nós, perceberemos o real, e a Verdade percebida e compartilhada pelo apóstolo de Cristo que disse: “Cristo é tudo e está em todos” [Colossenses 3, 11] será evidente!

Então, será evidente que Aquele que teve essa percepção e que aparece para a “mente em ilusão” como Jesus é de fato “o Cristo, o Filho do Deus Vivo”!

E será evidente também que Aquele que compartilha essa percepção e que aparece para a “mente em ilusão” como algum “personagem” é na Verdade “o Cristo, o Filho do Deus Vivo”!

E será evidente também que Aquele que desfruta essa percepção e que aparece para a “mente em ilusão” como voce, é de fato “o Cristo, o Filho do Deus Vivo”!

Seja livre! Conheça a Verdade de que todos temos a “Mente de Cristo”!

Parta da Verdade para percebê-la, pois só assim ela pode ser percebida.

Parta da “percepção” que uma vez mais está aqui sendo compartilhada.

Perceba, desfrute  e compartilhe!

 

Advertisements

2 thoughts on “A percepção da Unidade

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s